Educação humanista

  O recente documento, elaborado pelo Ministério da Educação, define o perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória, realçando a importância de um perfil de educação de base humanista. Iremos, pois, analisar o que significa uma educação de base humanista.   Educação em tempos de mudança Segundo vários pensadores, o mundo atual manifesta um…

AU_Maio2017_Pag38

Alunos para o século XXI

  Inauguramos este mês um novo itinerário temático. Nos próximos meses iremos refletir sobre o documento recente do Ministério da Educação Perfil dos alunos à saída da Escolaridade Obrigatória, em particular no que toca aos valores ali expostos. Propomo-nos compreender os principais valores e os caminhos educativos sugeridos. O documento define dez competências em que…

AU_Abril2017_Pag36

Rezar a Deus por vivos e defuntos

  Concluímos a série de reflexões sobre as 14 obras de misericórdia com a necessidade de rezar a Deus por vivos e defuntos. Tal como o amor, a oração também é uma tarefa. Habitualmente, quando nos aproximamos de Deus, pedimos por nós, pelos nossos familiares e pelas nossas necessidades. Porém, a oração obriga-nos a orar…

Aud_Março2017_Pag36

Suportar as fraquezas do próximo

  Num mundo que pretende apresentar-se como perfeito, é cada vez mais frequente existirem dificuldades de relacionamento e aceitação das fraquezas dos irmãos.  Não é por acaso que o Novo Testamento da Bíblia nos exorta, com frequência, a termos paciência e a suportarmos os outros: «Suportai-vos uns aos outros e perdoai-vos mutuamente se alguém tiver…

Aud_Fevereiro2017_Pag36

Misericórdia é perdoar as injúrias

  A quinta obra de misericórdia espiritual convida-nos a perdoar as injúrias. O Papa Francisco disse: «Não se pode viver sem perdão.» O perdão é essencial a cada pessoa. Perdoar e sentir-se perdoado pode produzir uma grande liberdade e paz interior. Perdoar constitui uma excelente obra de misericórdia que, além de nos fazer um grande…

aud_janeiro2017_pag36

Misericórdia é consolar os tristes

  O nosso tempo, marcado pelo progresso e por tantas conquistas, não se livra de ser também um tempo propício à tristeza e ao desalento. Se estivermos atentos, encontraremos ao nosso lado muitas pessoas tristes. A vida, por vezes, confronta-nos com momentos difíceis, em que as lágrimas expressam uma tristeza imensa que nos pode deixar…

aud_novembro2016_pag36

Corrigir os que erram

  Corrigir os que erram não é uma tarefa fácil. Na sociedade, por um lado, ninguém gosta de ser chamado à atenção. Por outro, há uma tendência para não corrigir e deixar andar. No entanto, corrigir os que erram é necessário: ajuda a formar o cérebro e estrutura a personalidade. Porém, lembremo-nos que a correção…

pag36

Ensinar os ignorantes

Ensinar é acender uma chama, ajudar o outro a procurar a luz da verdade e a deixar-se iluminar por ela.   Nos dias de hoje, a expressão “ensinar os ignorantes” é mal compreendida e desprezada. Primeiro, ninguém gosta de ser chamado ou considerado ignorante e, segundo, ensinar é uma tarefa cada vez mais desconsiderada, pois…

aud_outubro2016_pag36

O bom conselho é dado

De janeiro a julho, analisámos as obras de misericórdia corporais. Começamos este mês a refletir sobre as obras de misericórdia espirituais. Dar bons conselhos a quem hesita ou duvida e por isso se sente dividido é a primeira obra de misericórdia espiritual.   A arte de aconselhar Todos nós passámos por momentos em que sentimos…

Aud_Julho2016_Pag36_A

Misericórdia: enterrar os mortos

  Num ambiente tradicionalmente cristão, a morte de alguém é suficientemente divulgada e o acompanhamento do defunto acontece com naturalidade. Acompanhar as famílias em momentos tão dolorosos e difíceis é uma obra de misericórdia, um momento para confortar na fé e na amizade. Nas paróquias há sempre familiares, amigos e outras pessoas que estão presentes…