«Audácia»: A tua Janela para o Mundo!

A Audácia é a única revista missionária publicada em Portugal para gente nova. Propriedade dos Missionários Combonianos, começou a ser editada em Novembro de 1966. Tem todos os meses 68 páginas a cores de banda desenhada, passatempos, notícias, temas juvenis, aventuras, relatos missionários, histórias dos povos, ajudas especializadas… O número de Setembro é uma agenda escolar atraente e útil. Em 2001, foi galardoada com o Prémio de Jornalismo sobre Direitos Humanos.

Renovação da Assinatura

A renovação da sua assinatura pode ser paga:

  • por cheque ou vale postal à ordem de Audácia e enviado para a Calçada Eng. Miguel Pais, 9 – 1249-120 LISBOA;
  • por transferência bancária para o IBAN PT50 0007 0059 0000 0030 0070 9 (agradecemos que envie cópia do recibo da transferência para podermos identificar o assinante);
  • por Multibanco : seleccione Pagamentos e depois Pagamentos de Serviços/Compras . Entidade: 20105; Referência: o número de assinante que se encontra por cima do seu nome na folha com a sua direcção; Montante: o correspondente à sua assinatura (normal: €13,00; de amigo: €17,00).

Estatuto Editorial

A revista «Audácia» é uma publicação mensal de inspiração missionária destinada ao público juvenil. Como tal, privilegia a divulgação da realidade dos países de missão, o encontro de povos e culturas e a promoção dos direitos humanos, da cooperação e da solidariedade.
Através da notícia, da crónica, da opinião, do passatempo ou da banda desenhada, a «Audácia» acompanha os mais novos – residentes em Portugal, nos países africanos de língua oficial portuguesa (PALOP) e no estrangeiro – no seu crescimento, abrindo-os aos grandes valores da vida, levando-os a respeitarem a Natureza, a tornarem-se protagonistas e construtores de um mundo mais justo e pacífico.
A Audácia é associada da MissãoPress e da Associação de Imprensa de Inspiração Cristã (AIC). Não tem fins lucrativos. É distribuída por assinatura (não se vende nas bancas) a partir de Lisboa, chegando aos PALOP, aos missionários e às comunidades lusas dispersas pelos cinco continentes, fomentando deste modo a preservação e o desenvolvimento da língua e da cultura portuguesas.
A revista «Audácia» respeita os princípios deontológicos e a ética profissional dos jornalistas, assim como a boa-fé dos leitores.

 

São Daniel Comboni

Daniel Comboni nasce em Limone sul Garda , no norte da Itália, a 15 de Março de 1831 . Aos 18 anos decide dedicar toda a sua vida à salvação dos africanos. O seu lema será « África ou morte».
A 15 de Setembro de 1864 , concebe, junto do túmulo de S. Pedro, em Roma, o «Plano para a Regeneração da África» . Propõe-se salvar a África com a África e comprometer toda a Igreja na evangelização do continente.
Em 1870 , Comboni toma parte no Concílio Vaticano I, onde apresenta um pedido em favor dos africanos.
Em 1877 é sagrado bispo da África Central . Falece em Kartum, no Sudão, a 10 de Outubro de 1881 , com apenas 50 anos de idade.
O seu ideal, porém, continua vivo na Família Comboniana, composta pelos Missionários Combonianos, Irmãs Missionárias Combonianas, Missionárias Seculares Combonianas, Leigos Missionários Combonianos e pelos inúmeros amigos, familiares, colaboradores e benfeitores.
Daniel Comboni é beatificado a 17 de Março de 1996 e canonizado a 5 de Outubro de 2003. A Igreja recorda-o a 10 de Outubro , aniversário da sua morte.

 

Missionários Combonianos

A congregação dos Missionários Combonianos do Coração de Jesus – MCCJ – foi fundada por Daniel Comboni a 1 de Junho de 1867, em Verona. Chamava-se Instituto para as Missões da Nigrícia e era constituído por sacerdotes e leigos de diversas nacionalidades, sem votos religiosos.
Em 1885, o instituto foi transformado em congregação religiosa. Recebeu o nome de Filhos do Sagrado Coração de Jesus. Os primeiros membros professaram dois anos mais tarde. As Constituições foram aprovadas em 1910. O documento define a «conversão dos povos da África Central e de outros povos que fossem confiados ao Instituto como finalidade da Congregação».
O Instituto conheceu o período de maior expansão na Europa após a II Guerra Mundial, aceitando também campos de trabalho no continente americano.
Em 1988, obedecendo aos apelos da Ásia, os Combonianos enviaram para as Filipinas o primeiro grupo de cinco missionários.
Os Missionários Combonianos chegaram a Portugal em 1947. A primeira casa foi construída em Viseu. Seguiram-se as de V. N. de Famalicão, Maia, Lisboa, Coimbra e Santarém.
Os Combonianos portugueses são 97: 74 padres e 23 irmãos. Seguem mais de uma centena de jovens e adolescentes que estão a preparar-se para a vida missionária. Editam as revistas Além-Ma r e Audácia e o jornal Família Comboniana como instrumento de animação missionária.
A 1 de Janeiro de 2005, os missionários combonianos no mundo eram 1783. 16 são bispos, cerca de 1301 padres, 299 irmãos e 167 professos com votos temporários. Trata-se de uma congregação internacional com membros provenientes de 33 nações. Estão presente em 30 países de quatro continentes.

 

www.combonianos.pt