Vida consagrada

Janeiro 2015 / A Abrir

Amiga e amigo leitores da Audácia, começo por te desejar um novo ano cheio de bênçãos e de muitos sonhos realizados. O tempo que nos é dado em 2015 é para nos esforçarmos na concretização daquilo que mais desejamos. Se assim fizermos, alcançaremos as metas pretendidas, mesmo que pelo meio tenhamos de enfrentar obstáculos. Mas com determinação e audácia chegaremos ao destino final.

Queria dar-te a conhecer uma bela iniciativa que vai decorrer ao longo deste ano. Trata-se do Ano da Vida Consagrada que o Papa Francisco quis que se realizasse ao longo de 2015, terminando em fevereiro de 2016. Certamente conheces pessoas consagradas: um missionário ou missionária, uma freira, um padre ou um irmão de uma determinada congregação. Também já terás visto ou ouvido falar de monges que vivem toda a sua vida no mosteiro, a rezar e a trabalhar. São muitos milhares as pessoas consagradas por esse mundo fora. Muita gente se questiona como é que essas pessoas são capazes de viver assim, totalmente dedicadas aos outros, sem marido/esposa e filhos, sem salário, sem luxos. A razão está na vocação, quer dizer, no dom especial que Deus deu a estas pessoas. Não quer isto dizer que são melhores do que os restantes homens e mulheres. Simplesmente, Deus chamou-as um dia, e elas responderam «sim». Uma resposta positiva para servir os outros, sobretudo os mais necessitados.

Sou consagrado missionário há vinte e quatro anos, e neste Ano da Vida Consagrada vou-me esforçar por viver a minha vocação com alegria e ser um bom testemunho para os mais jovens para que também eles possam optar por esta vida.

Por: António Carlos

Deixe uma resposta