Um livro, bicharada e não só

Maio 2015 / Ciência

Este livro é um guia para conhecer a Natureza. É só folhear e partir à descoberta.

Era uma vez duas biólogas e um ilustrador que decidiram pôr em livro o seu amor à observação das plantas, das aves e de outros animais e que acabaram por ganhar, em Itália, um prémio de literatura para crianças. Podia começar assim esta história de três portugueses: as biólogas Maria Peixe Dias e Inês Teixeira do Rosário, e o ilustrador Bernardo P. Carvalho, cujo livro Lá Fora, editado no ano passado pela Planeta Tangerina, conquistou o prémio Primeira Obra na Feira do Livro Infantil de Bolonha, em fevereiro passado.

Tudo começou na escola

Para Maria Peixe Dias e Inês do Rosário, o fascínio pelas coisas da Natureza – «a bicharada, os lagartos e os passarinhos», como diz Maria – começou cedo, eram elas crianças ainda. «Na escola gostava muito da disciplina de Biologia», lembra, por seu lado, Inês.

Estudar biologia foi, então, a escolha lógica para ambas. Acabaram por se conhecer já na universidade. «Na faculdade conhecemos colegas, começámos a ir para o campo e a ajudar os outros que estavam a fazer estágios. No meu caso, fui ajudar a Inês, que estava a trabalhar com camaleões. E era tudo muito giro, ir para o campo e ver passarinhos e lagartos, aprender as espécies», contou Maria Peixe Dias à publicação na Internet Wilder.

Como se explica logo no título, o livro é «um guia para conhecer a Natureza»,  destinado sobretudo aos mais pequenos. Mas, na verdade, não há limite de idades. Pais e filhos podem igualmente desfrutar de Lá Fora, que dá muitas dicas e pistas sobre as espécies e os melhores sítios para as observar.

Às vezes andamos tão distraídos

Aliada a uma faceta mais leve e lúdica, a obra, com mais de 350 páginas e cheia de belas ilustrações, sobressai pelo seu carácter científico de grande rigor, com informações e curiosidades sobre as espécies e os locais no País onde elas se encontram, numa combinação acertada que mereceu a aprovação do júri na feira de Bolonha. No seu comunicado final, os jurados escreveram que este guia é «uma excelente solução para atrair os leitores e ajudá-los a admirar e a respeitar tudo o que há lá fora, como o próprio título sugere».

Para as autoras, tratou-se sobretudo de partilhar o conhecimento sobre a riqueza da biodiversidade em Portugal e a possibilidade de nos maravilharmos com ela. «Muitas vezes andamos tão distraídos ou apressados que nem nos apercebemos dos andorinhões que passam a gritar nos céus ou dos morcegos a esvoaçar em redor de um candeeiro ao lusco-fusco», escrevem na introdução. Com isso, dão mote para o segue: toda a enorme riqueza das espécies que existem no País está ali, à espera de ser descoberta. Às vezes, onde menos se espera, num quintal, num bosque, ou às portas de uma cidade, onde os terrenos urbanos terminam e o campo começa.

Ali não faltam pistas para organizar uma pequena expedição familiar e ir à descoberta da Natureza, que afinal não está assim tão distante nem inacessível. Seja para identificar morcegos ao lusco-fusco, para observar as nuvens de estorninhos junto ao Tejo ou para ver os pirilampos que se acendem à noite no coração da serra de Sintra, no verão. Agora, é só folhear, escolher um sítio e partir à descoberta.

Por: Maria Filomena Silva

Deixe uma resposta