Sono: um amigo para a noite

Março 2014 / Saúde

Aud_Mar2014_Pag38

O Dia Mundial do Sono é a 21 de março e convida a uma reflexão séria sobre o tema.

A quantidade e a qualidade do sono são questões às quais se vai prestando menos atenção depois da infância. No entanto, quando insuficientes podem acarretar consequências mais ou menos gravosas no desenvolvimento, na capacidade de discernimento… Dizem os especialistas que a televisão, o computador e outros aparelhos eletrónicos, a par da ingestão de substâncias estimulantes e da falta de regularidade dos horários de dormir, são os principais culpados pelo transtorno do descanso. Eles atrapalham a produção da hormona responsável pela indução do sono, o grande amigo da noite.

 Fatores que interferem com o sono

Os adolescentes, pelas características específicas desta fase, podem estar mais propensos aos problemas de sono do que a maioria. Assim, se tiverem relações conflituosas com os pais, amigos ou colegas, é provável verem reduzida a duração média de sono por noite em mais de uma hora. O sofrimento psíquico manifesta-se, muitas vezes, através de alterações do sono. Como resultado desta dor, ou não, é possível que comecem a fumar, a beber, a comer de mais ou de menos ou deixem de ter rotinas, o que também influencia o sono. Ao contrário, as relações sociais favoráveis são um fator de proteção. Quando os jovens se consideram parte integrante da família, da escola e do seu grupo de amizades, sentem-se aceites, elevam o seu amor-próprio e cuidam mais da saúde, revelando um comportamento de sono mais saudável.

Alterações do sono

As modificações biológicas explicam apenas parte das mudanças nos padrões de sono na transição da infância para a adolescência. Outra parte importante refere-se às muitas transformações, entre as quais o crescimento, as inúmeras exigências escolares e extracurriculares, e a inserção social, com diversas opções de convívio e lazer. O problema instala-se quando se começa a arrastar um défice de sono, que raramente se consegue compensar.

Na adolescência, os estragos daí decorrentes são muitos. Os adolescentes precisam de uma média de nove horas de sono. Um banho morno ou música calma ajudam a relaxar. Dormir descansa o corpo e restabelece a mente.

 Sinais de saúde afetada pela falta de sono

Mais fome, sobretudo de doces e gorduras

Perigo de acidentes

Mau humor, irritabilidade, depressão

Sistema imunitário debilitado e pele feia

Perda de tecido cerebral

Concentração e memória comprometidas

Risco de obesidade, doenças cardíacas, diabetes e alguns cancros

 

Que fazer?

– Higiene do sono (quarto escuro, cama confortável, almofada adequada).

– Não comer muito antes de deitar e rejeitar café, colas ou outros estimulantes.

– Evitar computador e TV no quarto e não variar a hora de dormir.

 

Por: Fernando Félix

Deixe uma resposta