Pentecostes e propósitos de vida

Junho 2017 / Sementes da fé

AU_Junho2017_Pag13

 

Depois de Jesus ressuscitar e voltar para junto do Pai, o Espírito Santo desce sobre os apóstolos. Jesus tinha-lhes dito para aguardarem o Paráclito, o Defensor, Aquele que lhes ensinaria tudo o que teriam de fazer e dizer. E o Espírito Santo unge os apóstolos quando estão reunidos no Cenáculo, como sinal de que a Sua vinda é o seguimento do que ali aconteceu na Última Ceia.

Quando unge os apóstolos, o Espírito Santo dá-lhes os dons necessários para iniciarem a ação missionária pelo mundo e edificarem a Igreja fundada pelo Senhor. E eles mudam radicalmente as suas vidas a partir daquele momento. Todos eles fazem um propósito de vida nova – ou, melhor, aceitam um propósito sugerido pelo Espírito Santo, que é serem pessoas novas, renascerem para Deus, tomarem consciência de que são seus filhos, e despertar nos outros os mesmos sentimentos de filiação, para viver em fraternidade entre si.

A Igreja celebra anualmente o Pentecostes. Por esta altura, muitos batizados recebem a Unção do Espírito, por meio do sacramento do Crisma. E acreditam que também neles o Espírito faz o que aconteceu aos apóstolos no Cenáculo.

Ao ungir, o Espírito pede a cada crismando que assuma o propósito de contribuir para a mudança (para melhor, claro) na sociedade, inspirado pela Palavra de Deus. Por isso, será muito triste se o Crisma se resumir a festas, se não passar de uma encenação. Então, os crismandos, em vez de dar valor aos dons do Espírito que acabam de receber e de ser instruídos acerca de como os praticar, decidem por si mesmos pôr um ponto final. Aos que pensam assim, o Papa Francisco diz: «O Crisma não é o sacramento do adeus!»

A vida é feita de mudanças, e mudar exige atitudes todos os dias. O Pentecostes é importante para que aconteçam as mudanças, porque, no Espírito Santo, é Deus que vem apoiar-nos e capacitar-nos.

Por: Orlando de Carvalho

Deixar uma resposta