Para que serve dormir?

Março 2018 / Sabes

Pag38

A primeira resposta, que todos dão, é «serve para repousar». Na verdade, quando dormimos, nem tudo no nosso organismo repousa (coração e pulmões, por exemplo). No entanto, para grande parte do corpo – também para o coração e os pulmões –, dormir significa relaxar, descansar do esforço praticado e restabelecer energias para o dia seguinte.

Há, todavia, um órgão que está sempre a trabalhar: o cérebro. E se considerarmos que há mensagens do cérebro humano a viajar ao longo dos nervos a cerca de 322 quilómetros por hora, é grande o seu esforço.

Quando todo o corpo repousa, no cérebro, os neurónios organiza-se, arrumam-se. Estas células nervosas armazenam as memórias e aperfeiçoam o controlo de todas as atividades mentais. Todos já experimentámos isto: sem sono, ficamos de mau humor, preguiçosos, distraídos, esquecemos facilmente.

Algo fantástico que acontece a todos quando dormimos é sonhar. A palavra vem do latim somnium, que significa «ilusão». Só que, cinco minutos depois de acordar, metade do sonho já foi esquecido. E não restarão muitas memórias passados mais cinco minutos. No máximo, retemos um pormenor.

Os sonhos são indispensáveis. Não sonhar pode significar carência de proteínas ou desordens de personalidade.

Uma pessoa sonha, em média, uma ou duas horas por noite. E tem de quatro a sete sonhos nesse período. Os pesadelos só ocorrem a partir dos 3 anos.

A linguagem dos sonhos é simbólica e serve-se de cenários e rostos conhecidos para transmitir uma mensagem à própria pessoa. Não são premonições nem se referem a outras pessoas. Estará sempre relacionado com uma atitude que a própria pessoa deve assumir.

Os cegos também sonham. Além de imagens, os sons, sensações táteis e cheiros também são elementos dos sonhos. E podem ser a cores ou a preto e branco.

Por: Tiago Ferreira

Deixe uma resposta