Países que mais escravizam

Novembro 2016 / Sabes

Perto de 45 milhões de pessoas são escravizadas no mundo, diz a Walk Free Foundation (www.walkfreefoundation.org). Dez países contribuem para 70% deste total. 

 

Índia – No segundo país mais populoso do mundo, há 18 milhões de escravos. São vítimas de uma economia baseada na mão de obra barata e não qualificada.

 

China – Mais de três milhões de pessoas são escravizadas no país mais populoso do mundo, sobretudo na construção civil e na extração mineira.

 

Uzbequistão – Todos os outonos, cerca de dois milhões de crianças são obrigadas a trabalhar na colheita do algodão. A indústria da moda mundial já reagiu, negando-se a adquirir esta matéria-prima.

 

Tailândia – Perto de 476 mil pessoas – tailandeses e imigrantes de países vizinhos – dependem de empregos pouco qualificados, especialmente na pesca e nas indústrias de vestuário.

 

Indonésia – Cerca de 714 mil indonésios são obrigados a trabalho forçado doméstico, agrícola – em particular na produção do óleo de palma – e nas pescas.

 

Bangladesh – A colheita de chá e a prostituição são as causas de vida escrava para milhão e meio de bangladeshianos.

 

Rússia – A Rússia é um dos seis países do mundo com mais de um milhão de pessoas que vivem como escravos. A maioria são mulheres e crianças vítimas do tráfico sexual.

 

Paquistão – Aqui vivem na escravidão dois milhões de pessoas. São trabalhadores que ficam em dívida para com os patrões. À medida que a dívida aumenta, os patrões contratam outros membros da família, que são forçados a trabalhar gratuitamente.

 

Nigéria – Neste país africano, 834 mil pessoas são escravizadas. Há raptos de mulheres para a prostituição e tráfico de crianças com destino ao trabalho nas pedreiras.

 

República Democrática do Congo – Perto de 763 mil pessoas são obrigadas a integrar guerrilhas e a trabalhar nas minas de diamantes, cobre e ouro.

Por: Audácia

Deixe uma resposta