Os missionários perdoam

Abril 2019 / Invencíveis

 

O perdão é uma das grandes características das pessoas generosas. Elas oferecem-no e recebem-no com abundância.

 

Perdoar é uma parte quase inevitável de todas as relações que mantemos. Concedê-lo e pedi-lo é uma liberdade, uma opção que lhe confere um valor enorme, já que costuma envolver um esforço maior do que as suas alternativas: não pedi-lo ou não concedê-lo.

Muitas vezes, sentimo-nos magoados pelos nossos pais, colegas da escola ou outras pessoas. E, por vezes, não sabemos usar o perdão com eles, ficamos sentidos, e o nosso primeiro impulso é afastarmo-nos, desligarmo-nos dessas pessoas por alguma coisa que elas nos fizeram. Outras vezes, por medo ou vergonha, apontamos o dedo para acusar os outros. Custa-nos admitir a nossa culpa, pedir perdão e reconciliar-nos.

 

Perdoar como Jesus perdoa

Jesus, como está escrito nos evangelhos de S. Mateus (Mt 5, 31-47) e S. Lucas (Lc 6, 31-36; 12, 57-59), ensina-nos outra maneira de agir: temos de saber perdoar a todos, pois é perdoando que somos perdoados. Neste exercício, não nos podemos esquecer de que nós também somos frágeis, cometemos erros, ferimos as pessoas que estão à nossa volta. É uma sensação muito boa quando alguém nos diz: «Eu te perdoo.»

Há pessoas que não perdoam porque pensam que, desse modo, não libertam a outra pessoa da culpa, mas a realidade é que a pessoa que mais sofre é aquela que não sabe perdoar. Não fazê-lo implica que a dor permaneça no seu interior, transformando-se numa espécie de veneno descontrolado capaz de causar um enorme dano de maneira imprevisível.

O Papa Francisco explica que «confessar tanto a Deus como aos irmãos que somos pecadores» nos ajuda a compreender que as nossas ofensas «nos separam de Deus e nos dividem também dos nossos irmãos», porque «o pecado separa, divide».

 

Missionários do perdão

Sabendo perdoar, estamos a ser verdadeiros missionários. O mundo precisa tanto de perdão, de reconciliação. E todos nós temos essa missão de ser missionários do perdão, em casa, na escola, no trabalho, em todo o lado. Temos de espalhar este perdão. Mas não o podemos fazer de qualquer maneira, temos de o fazer seguindo o exemplo de Jesus, que, ao longo da sua vida, perdoou usando uma misericórdia inesgotável para com todos.

Por: Ricardo Gomes

Deixe uma resposta