Oceânia, um continente rico em cultura e biodiversidade

Setembro 2016 / Vária

image description

 

Austrália é a ilha mais extensa da Oceânia. Tem fronteiras marítimas com a Indonésia, Timor-Leste e Papua-Nova Guiné, a norte, com Nova Caledónia, a leste, e com a Nova Zelândia, a sudeste. A sua maior atração é a Grande Barreira de Coral. Antes da colonização europeia, no século XVIII, era habitada por cerca de 250 nações de aborígenes. Os cristãos – católicos e anglicanos – são 63 % da população.

 

Nova Zelândia é um país insular, composto por duas ilhas grandes – Ilha do Norte e Ilha do Sul – e por muitas outras menores, algumas desabitadas. O seu nome indígena maori é Aotearoa, «Terra da Grande Nuvem Branca». Isolada geograficamente, desenvolveu fauna única: kivi, kakapo, pinguins… A sua paisagem natural inclui glaciares, lagos, fiordes, cumes nevados e selva subtropical. Os cristãos anglicanos são maioria.

 

Papua-Nova Guiné ocupa a metade oriental da ilha de Nova Guiné (que é a segunda maior ilha da Terra), o arquipélago de Bismarck e várias ilhas na Melanésia. O monte Wilhelm, com 4509 metros, é o ponto mais alto da Oceânia. É um dos países com maior diversidade cultural no mundo. A população vive em comunidades rurais, quase tão numerosas quantos os idiomas do país: há 848. Nove em cada dez, são cristãos.

 

Fiji é um arquipélago com 322 ilhas no oceano Pacífico. É o primeiro país do mundo onde se inicia um novo dia. Epicentro mundial do coral mole, nele vivem 1200 espécies de peixes. Usa 15 palavras só para definir «paraíso», porque tem cascatas gigantes na floresta de pandanos, coqueiros, bambus e juncos, é ideal para os desportos aquáticos e a sua terra é sagrada para os fijianos.

 

Tonga é uma monarquia – a única da Oceânia. O país é composto por 176 ilhas de coral e vulcânicas, cobertas de selva deslumbrante. Em muitas línguas polinésias, tonga significa «sul», mas, para os tonganeses, significa «jardim». Descobertas pelos holandeses, as ilhas nunca foram colonizadas, conservando-se as culturas indígenas. Uma das suas danças é a lakalaka. As 300 igrejas atestam o vigor do cristianismo.

 

Samoa é formada por duas grandes ilhas: Upolu e Savai’i, e oito pequenas ilhotas. A este fica a Samoa Americana, território dos Estados Unidos da América. Apesar dos diferentes sistemas de governo – a Samoa polinésia é uma monarquia parlamentar – ambas as Samoas partilham língua e cultura. As tatuagens masculinas pe’a são uma mostra disso. Noventa e nove por cento da população é cristã.

 

Kiribati é formado por 33 ilhas, que estão espalhadas pelo Pacífico de tal modo que o seu território se localiza nos quatro hemisférios (norte, sul, leste e oeste), sendo único no mundo com esta marca. E é o primeiro país do mundo a mudar de ano, na ilha de Kiritimati, devido ao fuso horário. Está em risco de desaparecer por causa da subida do nível das águas, em consequência das alterações climáticas.

 

Ilhas Salomão é formado por perto de mil ilhas, estando as situadas mais a leste a cerca de 1500 quilómetros de distância das mais a oeste. O inglês é a língua oficial, mas apenas dois por cento da população fala este idioma. Há 74 línguas indígenas. Um dos fascínios do país são os seus habitantes: têm a pigmentação de pele mais escura fora da África e dez em cada cem têm cabelo loiro como na Europa.

 

Vanuatu tem 83 ilhas. Conserva as tradições antigas, tais como o salto no vazio, na ilha de Pentecostes, que consiste em lançar-se de uma altura de 20 metros, com os pés amarrados e, na queda, a cabeça deve roçar o chão sem provocar dor, ou os festivais rituais, como o Toka, na ilha de Tanna, que festeja a cooperação entre tribos, ou os cantos e as danças a imitar personagens ancestrais ou lendárias.

 

Nauru é uma ilha com 21 quilómetros quadrados (metade da área do Porto) e 17 mil habitantes, o que faz dele o terceiro país mais pequeno do mundo e o menor país insular. A sua superfície foi desgastada pela sobre-exploração das minas de fosfatos, e muitos dos bens essenciais são importados: água doce, carne, a eletricidade… As 12 pontas da estrela na bandeira da nação representam as 12 tribos originárias.

 

Tuvalu é um dos países mais pequenos do mundo: tem 26 quilómetros quadrados e 12 mil habitantes. Consta de nove ilhas habitadas – antes eram oito e isso deu origem ao seu nome: tuvalu, em tuvaluano, significa «grupo de oito» – e cinco atóis (ilhas vulcânicas que se afundaram). A sua organização política é muito simples: não há partidos políticos; os candidatos são nomeados pelos familiares.

 

Palau é formada por oito ilhas e mais de 250 ilhotas e atóis, rodeadas por uma barreira de corais, bosque tropical e manguezais, com uma biodiversidade deslumbrante. É o primeiro santuário de tubarões do mundo. Os primeiros povoadores foram filipinos, há 3000 anos. Há 900 anos, recebeu negritos, que são descendentes dos primeiros habitantes do sudeste da Ásia e semelhantes fisicamente aos pigmeus africanos.

 

Ilhas Marshall são compostas por 34 atóis e 870 recifes de coral, repartidos por duas cadeias: Ratak («Sol Nascente») e Ralik («Sol Poente»). Depois da II Guerra Mundial, durante a Guerra Fria, os Estados Unidos da América utilizaram alguns atóis para testes nucleares. A cultura local tem características matriarcais e gira em torno de um sistema de clãs e linhagens ligados à propriedade da terra.

 

Micronésia é uma nação insular composta por 607 ilhas, que se estendem por 2900 quilómetros, e se dividem em quatro grupos de ilhas-Estado: Chuuk, Kosrae, Yap e Pohnpei. Cada grupo tem cultura própria, mas há laços em comum, como o sistema de clãs, geralmente matriarcais. São afamadas as suas danças com paus. O primeiro europeu a visitar o território foi o explorador português Diego da Rocha.

 

Havai é um arquipélago de 132 ilhas: oito grandes e habitadas, e numerosos atóis, ilhéus e montes submarinos no Norte do Pacífico. É um dos 50 estados dos Estados Unidos (o mais longínquo). Os atuais nativos havaianos são descendentes de polinésios que chegaram à região há milhares de anos. Vive sobretudo do turismo e da cultura à volta desta atividade, como a expressão aloha («olá») e o colar de flores.

 

Ilhas Pitcairn são colónia da Grã-Bretanha no Pacífico Sul, situadas a meio caminho entre a Austrália e a América do Sul. São cinco ilhas e atóis: Pitcairn é a única habitada, e por apenas 56 habitantes, o que faz deste país o menos povoado do mundo. Henderson é Património da Humanidade em virtude das suas quatro aves endémicas. Ducie também abriga pássaros exóticos. Oeno e Sandy são local balnear.

 

Ilhas Marianas do Norte são um Estado livremente associado aos Estados Unidos na Micronésia. É um arquipélago com 14 ilhas. Na parte oriental encontra-se a Fossa das Marianas, onde está a maior profundidade dos oceanos: 10 924 metros. Avistadas em 1521 pelo navegador português Fernão de Magalhães, foram por este batizadas Ilhas dos Ladrões, porque os nativos não teriam sido amistosos.

 

Ilhas Cocos são dois atóis e 27 ilhas de coral território da Austrália situado entre o Sri Lanka e a Austrália. Apenas Home Island e West Island são povoadas, com 600 habitantes. Estas duas ilhas são a sede do festival Lagoon, com provas de natação a ligá-las. As suas águas cristalinas propiciam o desporto aquático de mergulho. A maioria da população é muçulmana. A base comercial da ilha são os cocos.

 

Guam é colónia dos Estados Unidos na Micronésia, onde instalou bases da força aérea estratégicas no Pacífico Ocidental. Os chamorros povoaram-na há 4000 anos. Em 1521, foi avistada pelo navegador Fernão de Magalhães. Tem praias de areia branca, coqueiros e mar azul-turquesa. A cultura chamorra mantém-se nos cantos e danças, na culinária e nos jogos, como o batu (arremessar ferraduras a uma estaca).

 

Niue é um país insular associado à Nova Zelândia, formado por uma única ilha, quase inteiramente circundada por recifes de coral. É conhecida como a «Rocha da Polinésia», porque praticamente todo o perímetro da ilha é falésia que cai verticalmente sobre o mar. Uma sua característica marcante é o grande número de cavernas calcárias. A população tem migrado para a Nova Zelândia. Só resta uma escola primária.

 

Tokelau, ou Ilhas da União, é um arquipélago com três atóis e 125 ilhéus sob administração da Nova Zelândia. Não há estradas nem automóveis. O transporte é feito pelo mar. A posse da terra é exclusiva dos nativos tokelauanos, para evitar erros passados, quando a flora nativa foi substituída por coqueiros. É habitat de espécies nativas: 38 de plantas, 150 de insetos e dez de caranguejos terrestres.

 

Ilha Norfolk é um território autónomo ultramarino da Austrália. Foi utilizada como estabelecimento penal britânico entre 1825 e 1855. A maioria dos seus 1900 habitantes descende dos amotinados do navio britânico HMS Bounty, ali chegados em 1856. Além do imponente pinheiro Norfolk, retratado na bandeira, tem 60 espécies de plantas que só existem ali, e, igualmente, um papagaio verde (Green Parrot).

 

Ilhas Cook são um país insular associado à Nova Zelândia. Tem 15 ilhas, dispersas em dois grupos por uma vasta extensão de Pacífico. É o segundo maior produtor mundial de pérolas negras, produzidas pela ostra Pinctada Margaritifera, popularmente conhecida como ostra-dos-lábios-negros. Duas atividades destacam-se: a escultura em madeira e a tecelagem de colchas, artes ensinadas de geração em geração.

 

A Polinésia Francesa é um dos três territórios da França na Oceânia. É constituída por 118 ilhas, distribuídas por cinco arquipélagos: Marquesas, Tuamotu, Gambier, Austrais e Sociedade. Neste último está a ilha Taiti, a maior, mais povoada e mais turística. Nela está o Museu da Pérola, consagrado à pérola negra, nativa da região. O primeiro europeu na região foi Fernão de Magalhães, no século XVI.

 

Wallis e Futuna é um dos três territórios franceses na Oceânia. O arquipélago de Wallis é formado pela ilha Wallis e 22 ilhotas. Junto à ilha Futuna fica a quase desabitada Alofi. Apesar de governado de acordo com a Constituição Francesa, o território está dividido em três reinos tradicionais. A maioria da população descende dos povos polinésios ancestrais, conhecidos como maohi.

 

Nova Calcedónia é um dos três territórios da França na Oceânia. Estando a 16 136 quilómetros da França continental, o arquipélago é a colónia mais distante do seu país soberano. A ilha Grande Terre é rodeada pela segunda maior barreira de corais do mundo e tem uma lagoa de 24 mil quilómetros quadrados com peixes tropicais, tartarugas, serpentes do mar e tubarões, declarada Património da Humanidade.

 

Ilha da Páscoa é o lugar povoado mais isolado do mundo: fica a 3700 quilómetros do Chile, de que é dependência, e a mais de 4000 quilómetros de Taiti, na Polinésia. Os rapanui, seus primeiros habitantes, escreviam hieróglifos rongorongo, únicos na Polinésia. As suas 900 estátuas gigantes – os moais –, esculpidas na cratera Rano Raraku, ficaram em oitavo lugar na votação das novas Sete Maravilhas do Mundo.

Por: Redação

Deixar uma resposta