Lusofonia nos cinco continentes

Setembro 2018 / Vária

 

O português tem como antepassado o indo-europeu. Desta língua surgiu o latim. E do latim vulgar – falado pelo povo –, que foi introduzido na Península Ibérica pelo Império Romano, nasceu o português.

Na Europa, há portugueses emigrados em França, Alemanha, Reino Unido, Luxemburgo, Espanha, Bélgica, Suíça e Suécia. O português é um dos idiomas oficiais da União Europeia. Na África, o português é a língua oficial dos cinco países que foram colónias de Portugal: Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe. Há uma comunidade lusa em Zanzibar (na Tanzânia). E a língua convive com diversos dialetos crioulos baseados nela em Cabo Verde, Guiné-Bissau, S. Tomé e Príncipe, mas também em nações com laços desde a era dos Descobrimentos, como Senegal – onde há o crioulo de Casamansa –, e Guiné Equatorial, concretamente na ilha de Anobom, em que a população fala o crioulo anobonense. À parte isto, o português enriqueceu línguas africanas com vocábulos seus, nomeadamente o suaíli (deu-lhe 120 vocábulos) e o africâner.

O português merece atenção especial em países africanos que acolhem migrantes e refugiados da lusofonia, nomeadamente angolanos e moçambicanos. Isso acontece na África do Sul, Maurícia, Namíbia, Senegal, eSwatini (antiga Suazilândia), Zâmbia e R. D. Congo, e sobretudo no ensino.

Na América, o Brasil é o único país de língua portuguesa. Ali, o português recebeu influências de línguas indígenas, africanas e de imigrantes europeus. Isso explica as diferenças na pronúncia e no vocabulário em relação a Portugal.

Na Ásia, além de Timor-Leste, onde o português é uma das línguas oficiais, há uma minoria que fala o português em Goa. Já em Damão e Diu, em Java (Indonésia), Macau, Sri Lanka e Malaca fala-se um crioulo que conserva vocabulário do português, mas tem gramática diferente.

Na Oceânia, há emigrantes portugueses em três cidades da Austrália: Sidney, Melbourne e Adelaide.

Por: Audácia

Deixe uma resposta