Ideias para um Natal ecológico

Dezembro 2016 / Ecomissão

 aud_novembro2016_pag50

O Papa Francisco lança-nos um desafio para este Natal: não adianta contemplarmos Jesus no presépio, se não aprendemos a vê-Lo na Natureza. Ou seja, o montar a árvore de Natal e/ou o presépio deverão inspirar-nos atitudes ecológicas.

 

1 – Escolher uma árvore de Natal ecológica. Não convém cortar pinheiros. As árvores artificiais de plástico emitem toxinas. Há três opções: cuidar da árvore artificial, de modo a reutilizá-la muitas vezes, fazer uma árvore com cartão reciclado ou tecido, ou plantar um pinheiro num vaso. E usar musgo natural.

 

2 – Optar por iluminações LED, a mais económica. E desligar durante a noite, já que toda a gente está a dormir. Para a restante decoração, fazer fitas com recortes de papel, desenhar figuras com pacotes de leite e outras embalagens.

 

3 – Embrulhar os presentes com papel reciclado, aproveitar papel de embrulho de anos anteriores ou utilizar com criatividade folhas de jornal ou de revistas. Sacos de tecido ou caixas reutilizáveis são outras opções.

 

4 – As deslocações para a igreja e para a ceia em família podem ser ecológicas se feitas a pé, em transportes públicos ou à boleia.

 

5 – Escolher prendas úteis e duráveis. Os presentes artesanais e caseiros – biscoitos, compotas, licores, cachecol ou luvas tricotadas, etc. – dizem muito de quem os dá.

 

6 – Se houver lareira, evitar as acendalhas e combustíveis fósseis. As cascas de laranja secas cumprem esse papel… e deixam um aroma agradável.

 

7 – Enviar os tradicionais postais de Natal pode ser um ato solidário, se se escolherem cartões da UNICEF ou de outra associação de solidariedade social. Os postais enviados por SMS ou internet reduzem a pegada de carbono.

 

8 – Uma ceia de Natal é amiga da Mãe Terra quando feita com produtos frescos adquiridos localmente e em embalagens facilmente recicladas. Na decoração da mesa, evitar-se-á louça e copos descartáveis de plástico e guardanapos de papel.

 

9 – O Natal é solidariedade. Cresce o número daqueles que angariam o dinheiro equivalente às prendas que receberiam e entregam o valor ou o seu equivalente em géneros a uma instituição de solidariedade social.

 

10 – No fim das festividades, não desperdiçar comida, levar o que é de reciclar ao ecoponto e pensar nos que não receberam prendas, pois há sempre a oportunidade de os presentear no Dia de Reis, por exemplo.

Por: Jorge Ferreira

Deixe uma resposta