Origem

O feijão, conhecido cientificamente como Phaseolus vulgaris, figura entre os alimentos mais antigos da humanidade. Encontraram-se vestígios na América do Sul e na Ásia, e, por isso, é difícil determinar a origem e domesticação do feijoeiro. Os achados arqueológicos mais antigos, cerca de 10 000 a.C., ocorreram na América do Sul, em Guitarrero, no Peru.

 

Curiosidades

A maioria dos historiadores atribui a dois fatores a disseminação do feijão pelo mundo: às guerras, porque era parte essencial da dieta dos guerreiros em marcha, e aos Descobrimentos, levado pelos navegadores.

No antigo Egito e na Grécia, o feijão era cultivado como alimento, mas também era objeto de culto como símbolo da vida. Os romanos usavam-no como pagamento de apostas.

Atualmente, o Brasil é o maior produtor e consumidor desta semente.

 

Benefícios para a saúde

O feijão é amigo do coração. Possui vitaminas B e C, caseína vegetal, globulina, ácido cítrico, ácido fólico, magnésio, manganês, sacarose e ferro. É fonte de fibra. Contribui para baixar o colesterol, regula os níveis de açúcar no sangue e fornece proteínas praticamente livres de gordura.

 

Na cozinha

O feijão pode ser em vagem, cozido ou frito (peixinhos da horta). Em grão, pode integrar saladas, ou acompanhar pratos de carne ou de peixe, ou fazer puré na sopa.

 

 

 

 

Bacalhau da Noruega com feijão

 

Corta em pedaços 4 postas de bacalhau dessalgado, dispõe numa tigela e cobre com 1 litro de leite. Junta o sumo de 1 limão e 2 dentes de alho picado. Deixa de molho por 30 minutos. Escorre o bacalhau e frita ligeiramente em 10 dl de azeite. Corta duas cebolas às rodelas sobre o bacalhau e frita-as até ficarem transparentes. Adiciona 1 pimentão vermelho e outro amarelo às tiras, 2 dentes de alho picados, 10 dl de azeite, sal, pimenta, mostarda, alcaparras, coentros e vinagre a gosto. Mexe bem. Serve 300 gramas de feijão cozido numa saladeira. Dispõe o bacalhau e rega com o molho. Polvilha com 3 ovos cozidos picados e decora com azeitonas.

 

Por: Redação

Deixe uma resposta