Dia Mundial dos Animais

Outubro 2014 / Belezas do Mundo

Os animais são nossos amigos e merecerão sempre o nosso carinho e respeito, seja neste dia, seja no resto do ano!

Havia uma senhora que morava numa vila do interior e que era dona de dois gatos: uma fêmea de cores preta, branca e laranja, chamada Margarida, e um macho, seu filho, laranja e branco, de feitio arisco. Levavam por inteiro a vida de gatos de campo, explorando os terrenos que os rodeavam e dando poucas preocupações aos humanos que os acolhiam. Talvez a altura de maior sobressalto fosse a partir de janeiro, início da época de acasalamento.

Ora, no início de 2012, Margarida voltou para casa prenha, algo que surpreendeu a sua dona, já que a gata teria a sua terceira ninhada. Não era uma situação fácil, pois a senhoranãotinha possibilidadesde acolher novos animais. Mas não poderia deixar as futuras crias ao relento, sem carinho e um teto que as protegesse. Que fazer?

A 100 quilómetros dali

Numa cidade, vivia uma jovem com os seus pais. Prestes a fazer 19 anos, desejava como presente de aniversário um gato. Tanto ela como os seus pais preferiam optar pela adoção deum abandonado ou proveniente de ninhadas de gatas domésticas. Comprar estava fora de questão, já que tantos bichinhos por aí precisam de ajuda.

A 9 de março, a gata Margarida deu à luz sete gatinhos: três de pêlo acinzentado com riscas escuras, dois pretos e brancos, uma tricolor e um laranja e branco. Alguns tinham um aspeto deveras frágil, pondo-se até em questão quanto tempo sobreviveriam. No entanto, a senhora deitou mãos à obra e começou a perguntar aos seus vizinhos, amigos e conhecidos se gostariam de ficar com uma cria. Infelizmente, ouviu muitas vezes «não», até que…

Nesse mesmo dia, a jovem recebeu uma chamada a meio da sua festa de aniversário que a deixou imensamente feliz. Pelos vistos, na vila onde morava grande parte da sua família havia uma ninhada de gatinhos que necessitava de um novo lar. Falou com os seus pais e combinou ficar com um deles. Escolheu o cor de laranja com o peito branco, já que sempre achou os gatos dessa cor os mais bonitos. Mas quem ficaria com os restantes? Com persistência, foram feitos vários contactos e ao fim de um dia, todas as crias tinham à sua espera uma nova família.

Seis semanas depois, a rapariga foi buscar os bichinhos. Apenas tinham sobrevivido três, incluindo o seu laranja e branco, porque Margaridanãopodia amamentar tantos filhotes. Lembra-se perfeitamente de ter entrado no quintal da senhora e ver o seu futuro gato a correr tão pequenino e traquinas, enquanto os outros dois se encontravam aninhados na mãe.

Essa jovem sou eu

Agora que leste esta história, posso-te dizer que é sobre mim e o meu gato Billy, que hoje tem dois anos e meio. Conto-ta porque dia 4 de outubro é o Dia Mundial dos Animais, efeméride em que poderás aproveitar para relembrar como adotaste o teu bichinho ou até pensares em ajudar um!

Por: Margarida Brotas

Deixe uma resposta