Crianças migrantes

Fevereiro 2014 / A Abrir

Num artigo das páginas centrais deste número da Audácia, dedicado às crianças migrantes, encontramos um número impressionante: nas escolas portuguesas, há alunos de 120 países.

Portugal acolhe muitos imigrantes, sobretudo, de países africanos de língua portuguesa, do Brasil, da Roménia e da Ucrânia. Destes cidadãos, cerca de 25 % são crianças. O nosso país é apontado como um exemplo no acolhimento a pessoas estrangeiras e migrantes, quer na hospitalidade que prestamos, quer a nível das leis. Contudo, a sociedade portuguesa tem de estar atenta ao modo como, por exemplo, as crianças e adolescentes são integrados nas escolas. Acontece que essas crianças são normalmente discriminadas e frequentam escolas com menos recursos.

A Audácia visitou o espaço Despertar, no Bairro de Fetais, freguesia de Camarate, onde crianças de famílias carenciadas recebem apoio escolar. O seu desempenho na escola tem melhorado, tal como o seu comportamento.

Neste momento, as crianças da Síria são aquelas que mais estão a sofrer os efeitos da guerra civil naquele país há já três anos. Metade das crianças teve de abandonar a escola. Corre um videoclipe no qual crianças sírias imploram ajuda e questionam o mundo sobre o que fizeram de mal para estarem a sofrer tanto. As Nações Unidas lançaram uma campanha no início deste ano para apoiar estas crianças com programas de educação com o intuito de as salvar da situação dramática em que se encontram.

Finalmente, uma informação devida aos leitores assíduos da rubrica da Ir. Isabel Martins, que escrevia sobre temas bíblicos. Durante alguns meses, a Ir. Isabel estará ausente das páginas da Audácia por motivos pessoais. Esperamos tê-la de volta assim que seja possível.

Por: António Carlos

Deixe uma resposta