Crescer misericordiosos como o Pai

Abril 2016 / Na Escola de Jesus

De 23 a 25 de abril, milhares de pré-adolescentes invadem o Vaticano. É o Jubileu da Misericórdia para eles, convocado pelo Papa Francisco. O papa escreveu esta mensagem especial para o acontecimento:

 

«Queridos adolescentes!

A Igreja está a viver o Ano Santo da Misericórdia, um tempo de graça, paz, conversão e alegria que abrange a todos: pequenos e grandes, próximos e afastados. Não há fronteiras nem distâncias que possam impedir à misericórdia do Pai de nos alcançar, tornando-se presente no meio de nós.

Este tempo precioso abrange também a vocês, queridos adolescentes, pelo que me dirijo a vocês para os convidar a participar nele, a tornarem-se seus protagonistas descobrindo-se filhos de Deus (cf. 1 Jo 3, 1). Gostaria de os convidar um por um, gostaria de os chamar pelo nome, como faz Jesus cada dia, porque – como bem sabem – os vossos nomes estão escritos no Céu (Lc 10, 20), esculpidos no coração do Pai, que é o Coração Misericordioso donde nasce toda a reconciliação e toda a doçura.

O Jubileu é um ano inteiro no qual se diz santo cada momento, para que toda a nossa existência se torne santa. É uma ocasião para descobrirmos que viver como irmãos é uma grande festa, a mais bela que se pode sonhar, a festa sem fim que Jesus nos ensinou a cantar através do seu Espírito.

Explicação do título

«Crescer misericordiosos como o Pai» significa aprender a ser corajosos no amor prático e desinteressado, significa tornar-se grande tanto no aspeto físico, como no íntimo de cada um. Vocês estão a preparar-se para se tornarem cristãos capazes de escolhas e gestos corajosos, capazes de construir cada dia, mesmo nas pequenas coisas, um mundo de paz.

A idade que têm agora é um período de mudanças incríveis, em que tudo parece, ao mesmo tempo, possível e impossível. Com grande incitamento repito-lhes: «Permaneçam firmes no caminho da fé, com segura esperança no Senhor. Aqui está o segredo do nosso caminho! Ele dá-nos a coragem de ir contra a corrente. Podem crer: isto fortalece o coração, já que ir contra a corrente requer coragem e Ele dá-nos esta coragem! Com Ele, podemos fazer coisas grandes; Ele nos fará sentir a alegria de sermos seus discípulos, suas testemunhas. Apostem nos grandes ideais, nas coisas grandes. Nós, cristãos, não somos escolhidos pelo Senhor para coisas pequenas; vão sempre mais além, rumo às coisas grandes. Apostem a vida por grandes ideais!»

Aos adolescentes em ambientes de guerra

«Não posso esquecer aqueles de vocês, adolescentes, que vivem em contextos de guerra, pobreza extrema, transtorno diário, abandono. Não percam a esperança! O Senhor tem um grande sonho a realizar convosco. Os amigos da vossa idade, que vivem em condições menos dramáticas do que as vossas, lembram-se de vocês e comprometem-se por que a paz e a justiça possam pertencer a todos. Não acreditem nas palavras de ódio e terror que se repetem com frequência; pelo contrário, construam novas amizades. Ofereçam o seu tempo, preocupem-se sempre por quem lhes pede ajuda. Sejam corajosos, contra a corrente; sejam amigos de Jesus, que é o Príncipe da paz (cf. Is 9, 6), pois tudo n’Ele fala de misericórdia. N’Ele, nada há que seja desprovido de compaixão.»

Aos que não podem ir a Roma

«O Jubileu é para todos e será celebrado também nas vossas Igrejas locais. Existem portas santas em todas as dioceses. Estão todos convidados. Preparem sobretudo o coração e a mente. Meditem bem nos desejos que confiarão a Jesus no sacramento da Reconciliação e na Eucaristia, que celebraremos juntos. Quando passarem pela Porta Santa, lembrem-se de que se comprometem a tornar santa a vossa vida, a alimentar-se do Evangelho e da Eucaristia, que são a Palavra e o Pão da vida, para poderem construir um mundo mais justo e fraterno.»

Por: Papa Francisco

Deixe uma resposta