Alimentação e cancro

Dezembro 2016 / Prevenção do Cancro

 

Sabemos hoje que os hábitos de vida saudável, nos quais se inclui a alimentação racional, ajudam a prevenir muitas doenças, entre as quais o cancro, que a todos preocupa. Se queremos prevenir o cancro, contribuindo positivamente para a nossa saúde, é importante alimentarmo-nos de forma saudável.

Um dos instrumentos úteis para praticar uma alimentação saudável é a roda dos alimentos. Com centro na ingestão de água, a roda divide os alimentos em vários grupos e indica quantas porções de cada grupo devem ser ingeridas diariamente por um adulto saudável. Alimentarmo-nos de forma sã é procurar uma alimentação completa, equilibrada – comer alimentos de cada um dos grupos da roda nas proporções propostas – e variada, dentro de cada um dos grupos, variar os alimentos ingeridos.

 

A roda dos alimentos nas refeições

O pequeno-almoço é a refeição mais importante do dia. Depois do jejum da noite, é esta refeição que nos permite repor energias para um novo dia, ajuda-nos a ter o melhor desempenho possível na escola e nas atividades desportivas. É bom recordar alternativas que usamos menos e ir variando dentro dos grupos dos lacticínios, dos cereais e das frutas. O grupo das frutas é habitualmente esquecido, mas é fácil incluir logo ao início do dia uma peça de fruta. É possível, incluindo alimentos destes três grupos da roda, encontrar opções saborosas e saudáveis.

Outra peça fundamental da alimentação saudável são as merendas do meio da manhã e da tarde. Estas pequenas refeições permitem manter constante o fornecimento de energia ao organismo, ajudando a manter estáveis os níveis de glicemia e a regular o apetite. São merendas saudáveis: pequenas porções de frutos secos; fruta fresca; crepes de aveia caseiros; ovo cozido; iogurte natural com pedaços de gelatina; ou duas ou três tostinhas preferencialmente de pão integral.

Em relação ao almoço e ao jantar, duas estratégias importantes são começar estas refeições com um prato de sopa de hortícolas e/ou leguminosas; incluir hortícolas como acompanhamento no prato principal, para que a sopa não seja a sua única fonte. As hortícolas têm muitas vantagens: são ricas em fibras (ajudando a regular o apetite), em água, vitaminas e minerais e pobres em calorias.

 

Quatro milhões de cancros

Todos os anos, são diagnosticados com cancro, no mundo, 14 milhões de pessoas. Para cerca de quatro milhões dos casos, o cancro advém da má nutrição.

 

Nutrição que previne o cancro

– Preferir carnes magras, como frango, peru, coelho e lombo de porco. As carnes vermelhas podem ser consumidas, mas em menor quantidade.

– Ingerir peixes duas a três vezes por semana e optar por peixes gordos, como salmão, sardinha, atum, cavala e arenque, pela sua riqueza em ómega-3.

– Os hidratos de carbono são a principal fonte energética da nossa dieta, mas é a sua fibra que tem um comprovado efeito protetor contra o cancro do intestino.

– Frutas, vegetais e leguminosas protegem contra o cancro da boca, garganta, esófago, pulmão e estômago.

– Beber água com um pH superior a 7,0 equilibra a acidez do sangue.

Por: Rita Teles Branco

Deixe uma resposta